Work Smarter, not Harder

Esta frase não é nova, encerra em si muitas interpretações, que transporta muitas pessoas para uma realidade (ou sonho?!) em que podemos ter o melhor dos dois mundos, na vida pessoal e profissional. Quem não esteve já numa reunião, ou até um simples convívio entre colegas e amigos em que ouviu falar daquele ex-colega que agora viaja pelo mundo numa autocaravana 9 meses e trabalha 3, ou o outro que abriu o seu próprio negócio e num dia de chuva fica no conforto do lar a trabalhar a partir de casa? Lamento afastar desde já estes cenários idílicos, mas não é disso que trata este texto.
Com a crise em Portugal foram suprimidos muitos postos de trabalho, bem como muitas compensações e benefícios, deixando muitas pessoas a acumular várias funções dentro da mesma empresa, situação essa que se manteve independentemente da retoma que se tem vindo a sentir em vários sectores, principalmente devido ao turismo. Como resultado temos pessoas a trabalhar mais horas por dia, muitas vezes em mais do que um local de trabalho e sujeitas a mais pressões, responsabilidades e prazos cada vez mais apertados. A forma de responder a isto tudo é passar cada vez mais horas atrás de uma secretária sacrificando com isso o tempo para a vida pessoal, e por consequência, a família.
Mas trabalhar melhor não se mede pelo número de horas que se passa na secretária, ou por exemplo no número de reuniões com clientes, mas sim no que fazemos com essas horas ou reuniões. Muitas das vezes as empresas, ou até mesmo os colaboradores identificam esta necessidade de trabalhar melhor e investem rapidamente num curso de gestão do tempo, de equipas e até de conflitos, mas será isso suficiente para resolver a questão?
A consciencialização daquilo que se faz melhor e pior, do tempo que alocamos para cada tarefa em relação ao tempo médio expectável é um indicador fundamental para perceber se estamos a trabalhar melhor, e nessas tarefas em que não somos tão bons por vezes a melhor solução é deixar outra pessoa fazê-la. Delegar tarefas consegue ser uma tarefa complicada, especialmente para quem se habituou a dada altura da sua vida, em ter de intervir em todas as fases de um processo.
Outra forma será ter um conhecimento aprofundado das matérias com que se lida e não apenas superficial, pois quando surge um problema, perder-se-á menos tempo a encontrar a solução. Um planeamento eficaz permite antecipar os problemas bem como a resolução dos mesmos.

Os negócios, assim como as pessoas encerram em si várias chaves para se tornarem mais produtivos e para se manterem saudáveis, mas o maior bem de uma empresa continua a ser as pessoas e é esse que importa preservar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Super Empreendedores

Depressão Pós-Moderna